Are you in ?

Visit our online store design especially for your country

go to website
Stay on this website
8 barulhos do teu carro que podem levar-te ao mecânico

Segurança

07 Janeiro 2019

8 barulhos do teu carro que podem levar-te ao mecânico

8 barulhos do teu carro que podem levar-te ao mecânico
À primeira vista, isto pode parecer estranho, mas os carros comunicam connosco. Não, não comunicam connosco no sentido de uma série de ficção científica da Netflix. Mas conseguem emitir sons e adotar determinados comportamentos que nos avisam se algo não está bem. Tudo o que precisamos de fazer é estar atentos.
Vamos analisar isto da seguinte forma: se o teu carro faz algum barulho invulgar é porque está a avisar-te que vai dar problemas em breve. Para todos os efeitos, se alguma coisa se prepara para falhar, é sempre preferível receber um alerta prévio. Para além do tipo de ruído (é metálico, um silvo, um bater constante?) tenta perceber de onde vem. Determinar a origem, se é por debaixo do carro, na zona do motor ou no habitat, irá ajudar no diagnóstico. Finalmente, procura determinar em que situações ouves os ruídos: a quente, a frio, quando arranca, quando atinge uma determinada velocidade?

O primeiro som que ouvimos do nosso carro é o do arranque e é fácil perceber se algo se passa. Se o ouves a “tossir”, com pouca vontade de se levantar da cama, a culpada pode ser a bateria. Pode ser uma circunstância relativamente normal se já não andas com o carro há algum tempo ou se a manhã estiver fria. Mas, se a situação se repetir em diferentes momentos, é sinal que a bateria pode estar a morrer. Troca-a assim que for possível.

Os ruídos resultantes de interferências aerodinâmicas são relativamente fáceis de identificar. Se o carro com a aceleração passa a emitir vibração na passagem do ar, poderá ser uma peça aerodinâmica. Com o tempo ou depois de alguma pancada algumas partes poderão tornar-se mais frouxas. As mais suscetíveis são os protetores superiores das rodas e o para-choques, mas depende dos modelos e número de peças.

O som que vem dos pneus deve ser constante, mudando apenas conforme o tipo de piso em que circulamos. Assim, se notares que a borracha não emite sempre o mesmo som (é comum também sentir vibração ao mesmo tempo), é altura de verificares os teus pneus. Pode ser um problema com a pressão do ar, equilíbrio das rodas ou simples desgaste.

Ao travar, ouves um som estridente? Pode ser sinal que as pastilhas já cumpriram a sua vida útil. A primeira vez que ouvires este barulho é apenas um sinal, um indicador de que não falta muito para deixares de ter travões. Não abuses do carro neste estado e vai o mais depressa possível à oficina. Com o tempo os sintomas só se vão agravar e estás a arriscar desnecessariamente.

Sons metálicos debaixo do carro podem ter diversas proveniências. Estão na zona das rodas? Pode ser uma questão de rolamentos. Tornam-se mais evidentes quando passas por buracos na estrada? A vítima poderá ser a suspensão ou a direção. O ruído vem da parte traseira? Alguma das partes do sistema de escape seja o catalisador, o coletor ou silenciadores, poderá ser a culpada.

Se ouvires um som estridente do motor, poderá ser a corrente de transmissão ou do radiador frouxa ou desgastada. É um consumível e a sua substituição deve ser regular, mas se estiver a dar problemas antes do prazo pode ser sinal de uma questão com os tensores.

Fica atento ao som do motor em ponto-morto. Se detetares um ritmo irregular, poderá ser um problema com as velas de ignição ou filtros de ar e gasóleo. Se, pelo contrário, para além do som normal dos pistons ouvires um tique-tique constante estamos perante uma situação com o ajuste das válvulas. Ou seja, altura de ir ao mecânico.

Um assobio constante debaixo do capot poderá ter origem em qualquer uma das linhas de vácuo e mangueiras do motor. Se não conseguires identificar a proveniência, fica atento ao comportamento do carro. Isto vai acabar com um sobreaquecimento, aumento de consumo ou poças de fluídos debaixo do carro, indicadores suficientes para ir ao especialista.