Are you in ?

Visit our online store design especially for your country

go to website
Stay on this website
Tudo o que precisas de saber para escolher um carro eléctrico

Mobilidade Elétrica

17 Julho 2019

Tudo o que precisas de saber para escolher um carro eléctrico

Tudo o que precisas de saber para escolher um carro eléctrico

Já está na altura de arranjares um carro elétrico, não achas? Já não é só uma questão de ser cool ou estar na moda. É que este tipo de veículos são mesmo mais ecológicos, mais práticos e há cada vez mais modelos disponíveis.


Além disso, se apostares na compra de um veículo elétrico ficas isento do pagamento do Imposto Sobre Veículo (ISV) e do Imposto Único de Ciruclação (IUC) – e em certos casos até podes receber um incentivo no momento da compra. Outra vantagem é o estacionamento: algumas autarquias permitem o estacionamento gratuito ou a preço reduzido a este tipo de veículos.


Já estás convencido, mas não sabes por onde começar? Nós ajudamos com tudo o que precisas de saber para tomar a decisão final.


Que tipo de elétrico queres ter?

A principal decisão passa por escolher entre os veículos elétricos a bateria e os veículos híbrido plug-in. Estes últimos vêm equipados com um motor de combustível líquido que permite ao automóvel ter uma melhor prestação e, ao mesmo tempo, recarregar a bateria. Já os elétricos apenas dispõem de uma bateria alimentada em postos de carregamento. Comparado com um carro híbrido, os carros puramente elétricos têm um autonomia mais reduzida. No entanto, os carros elétricos são mais baratos a longo prazo porque não usam outro combustível além da eletricidade. Se tivermos em conta uma viagem de cerca de 100 quilómetros entre o Porto e Vila Real, um carro a gasolina gasta, no mínimo, quase 12€ por cada 100 quilómetros, um carro a diesel gasta cerca de 9€, e um elétrico consome o equivalente a cerca de 2€. Os dados de comparação são referidos pela Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos. Se precisares de parar num posto de carregamento rápido, a mesma energia vai custar três vezes mais, ou seja, seis euros (40 cêntimos por kWh). Se fores alguém que percorre grandes distâncias, o híbrido é a solução ideal. Caso ande mais dentro da cidade, o veículo elétrico poderá ser preferível.


Que grau de autonomia precisas?

A autonomia limitada dos automóveis elétricos é quse sempre é apontada como a principal desvantagem da mobilidade elétrica. Esse é um dos pontos que tem vindo a ser trabalhado pelas fabricantes e, claro, dada a sua natureza limitativa, é uma das características mais importantes a ter em conta. No topo desta hierarquia estão os carros da Tesla, os modelos com maior autonomia do mercado. Por exemplo, o Model 3 pode, com uma carga, viajar cerca de 530 quilómetros antes de ter que ligar novamente o carro à corrente. E a marca já confirmou que os próximos modelos poderão chegar a valores próximos dos 640 quilómetros. Outro dos destaques vai para o Jaguar I-Pace, com uma autonomia que ronda os 500 quilómetros. Se o preço pode ser uma desvantagem, não te podes esquecer que há opções elétricas mais económicas como e-Golf da Volkswagen, mas que também poupam na autonomia, já que podes viajar, com apenas uma carga, cerca de 300 quilómetros.


Tempo de carregamento

Já há automóveis que conseguem chegar a 70% ou 80% da sua capacidade em apenas 30 minutos, desde que o faça num carregador rápido, próprio para este tipo de automóveis. Verifica sempre a capacidade de carregamento do carro que vais escolher. O ideal é escolher um carro com várias opções de carregamento. Alguns têm dois motores e tração integral elétrica, várias opções para carregamento mesmo em casa, com base numa tomada doméstica de 220 volts, ou ainda com recurso a uma tomada trifásica de 400 volts (AC 11 kw). Um exemplo disso é o Audi e-Tron. Existe ainda a opção de carregamento connect que dobra a potência de carregamento até 22kw (AC).


Quantos anos aguenta a bateria?

A bateria dos carros elétricos tem uma vida mais limitada do que a dos automóveis de combustível líquido, dependendo da tecnologia, da utilização e das condições de armazenamento. As baterias são afetadas pelas temperaturas extremas, os carregamentos em excesso e as descargas completas. É importante ter em mente que as baterias elétricas contam com garantias variáveis que rondam os dez anos – e que atestam a sua eficácia durante esse período. A alta densidade energética faz das baterias de iões de lítio as preferidas para os veículos elétricos. Mas, devido ao decorrer dos ciclos de carga, têm uma progressão degenerativa. Já existem veículos com uma travagem regenerativa – que permite recarregar a bateria enquanto travas – como o Jaguar I-Pace ou o Nissan Leaf. Um carro com este sistema é sempre uma boa opção.