Are you in ?

Visit our online store design especially for your country

go to website
Stay on this website
10 passos para iniciares a transição energética no teu negócio

Dicas

11 Novembro 2022

10 passos para iniciares a transição energética no teu negócio

edifício eficiente e sustentável
A transição energética é central para a construção de um mundo melhor e mais sustentável. Neste processo, as empresas e negócios têm um papel importante a desempenhar, ainda que o caminho não esteja livre de desafios.

Traçar metas e pôr em marcha um plano de ação são tarefas inadiáveis no caminho da sustentabilidade pois, em causa, está o crescimento dos próprios negócios. Não sabes por onde começar? Identificamos os passos a dar no início desta jornada.

O caminho para a transição energética

O futuro da tua empresa ou negócio depende dos passos que estás preparado para dar já hoje. No caminho da sustentabilidade, estes não podem faltar.

1. Entender a necessidade da transição energética

O tema da transição energética está no topo da agenda política mundial e as razões são bem conhecidas. É urgente reduzir a emissão de gases com efeito de estufa para travar o aquecimento global e mitigar as alterações climáticas.

É certo que uma economia e sociedade livres de combustíveis fósseis ainda é algo longínquo. Mas cada setor deve dar o seu contributo para reduzir o impacto ambiental e acompanhar as transformações que já estão a acontecer.

A mudança de comportamentos também começa a ser visível nas escolhas dos consumidores, que cada vez mais preferem produtos e serviços sustentáveis. Às empresas cabe acompanhar esta tendência e agir em todas as frentes. Caso contrário, podem perder a oportunidade de levar o seu negócio para o futuro. As energias renováveis e a eficiência energética são apostas chave.

2. Analisar o quão sustentável é o negócio

Perceber em que ponto da corrida para a sustentabilidade está o negócio ou a empresa é fundamental para traçar metas.

Mas antes de implementar qualquer mudança, convém primeiro avaliar o impacto que pode ter no negócio, nos colaboradores e nos stakeholders, bem como quais os
benefícios que daí podem advir. Esta avaliação permitirá ainda identificar onde se devem concentrar os esforços de sustentabilidade.

3. Avaliar o impacto ambiental em toda a cadeia de valor

Para reduzir o impacto ambiental do teu negócio há que avaliar a pegada ecológica, tendo em consideração todos os interlocutores, isto é, toda a cadeia de valor. Repensar a forma como se produzem, distribuem e consomem bens (e serviços) é crucial no caminho da transição energética.

4. Definir um plano de ação

Depois de avaliado o impacto ambiental do negócio, há que delinear um plano ainda antes de passar à prática. Nesta fase é importante definir prazos para as metas que devem ser alcançadas a curto, médio e longo prazo, e, ainda, o que é necessário fazer para lá chegar.

5. Dar pequenos grandes passos

Começar por reduzir a utilização de papel, fomentar a reciclagem com contentores apropriados, trocar equipamentos e lâmpadas que consomem mais energia ou reduzir a utilização do elevador e do ar condicionado são exemplos de alguns pequenos passos em direção à transição energética.

Tornar a frota mais verde, introduzindo combustíveis amigos do ambiente é outra ação que pode ser facilmente posta em prática. Na PRIO, os combustíveis aditivados são criados para reduzir as emissões de CO2, diminuir o consumo e melhorar o desempenho do motor.

6. Apostar em metodologias de gestão e produtos sustentáveis

Os negócios e as empresas devem abraçar metodologias de gestão inovadoras e mais focadas na sustentabilidade. Além disso, se necessário, devem redirecionar o negócio para novos produtos, produzidos de forma mais eficiente, permitindo assim um melhor desempenho em termos ambientais e financeiros.

7. Estimular a transição para fontes de energia renováveis

Aumentar a utilização de fontes de energia renováveis, para reduzir a emissão de gases com efeitode estufa, é um passo incontornável no processo de transição energética, qualquer que seja a empresa ou negócio.

Instalar painéis solares ou substituir alguns veículos da frota por elétricos, são duas formas possíveis de o fazer. E existem incentivos, atribuídos pelo Fundo Ambiental, a que as empresas se podem candidatar para esses fins.

8. Formar e envolver os colaboradores

É importante que o processo de transição energética seja compreendido e acolhido por todos dentro da empresa. A conhecida expressão “vestir a camisola”, neste caso a da sustentabilidade, faz aqui todo o sentido.

Mas para isso é necessário formar os colaboradores, pô-los a par das alterações introduzidas, do que as motivou e do que visam alcançar. Só assim estes terão um papel ativo e promotor da mudança.

Os órgãos de gestão devem liderar pelo exemplo, ouvir e acolher os contributos dos colaboradores e motivar para a responsabilidade de todos na proteção do meio ambiente.

9. Manter o foco na sustentabilidade

Ser consistente é fundamental para o ambiente, para a empresa ou o negócio, e para a visibilidade e confiança que é transmitida. Esse esforço e investimento devem ser contínuos. Para tal, a sustentabilidade deve fazer parte não só do plano estratégico da empresa, mas dos seus valores, do seu ADN.

Importa que não só os colaboradores, mas também os clientes identifiquem na marca, negócio ou empresa, o compromisso com a transição energética.

10. Avaliar e ajustar processos e estratégias

Ainda a propósito da consistência, importa avaliar os resultados do plano de ação traçado e medir progressos. Só percebendo sucessos e falhas, se poderão implementar melhorias no processo de transição energética