Are you in ?

Visit our online store design especially for your country

go to website
Stay on this website
Histórias que fazem a história da PRIO: Ricardo Coimbra

Inside look

15 Fevereiro 2019

Histórias que fazem a história da PRIO: Ricardo Coimbra

Histórias que fazem a história da PRIO: Ricardo Coimbra

Ricardo Coimbra é administrador da PRIO e um dos colaboradores mais antigos da empresa. Terminou o curso de Gestão de Marketing em Aveiro e, em 2007, integrou os quadros da PRIO.


Tem 39 anos e é natural de Molelos, concelho de Tondela, distrito de Viseu. Quando começou a desempenhar funções na PRIO, ficou responsável pela compra de terrenos para construir os primeiros postos de combustíveis da empresa.


Colaborador há 12 anos, acompanhou todas as etapas do crescimento e evolução da PRIO. Acredita que foi a união dos colaboradores, dos clientes e dos parceiros que construiu a empresa que, hoje em dia, é valorizada pelos portugueses e reconhecida no setor da distribuição e comercialização de combustíveis e produção de biocombustíveis.
Para Ricardo Coimbra é importante que todos possam ajudar a PRIO a tornar o mundo mais eficiente e a incentivar o progresso da sociedade. É com estes objetivos em mente que vai continuar a trabalhar para o sucesso da empresa.


Como é que ficou a conhecer a PRIO?

O meu primeiro contacto com a PRIO aconteceu durante uma entrevista a que fui em outubro de 2006 para a área comercial da Martifer Aluminios, empresa do setor de estruturas metálicas. Pode parecer estranho, mas eu consigo explicar. As duas empresas tinham sede no mesmo edifício e, por isso, na sala onde me entrevistaram estava também um administrador da PRIO que se mostrou muito interessado no meu trabalho.
A meio da entrevista, interrompeu para dizer que a PRIO estava a precisar de alguém como eu. Tinha lido superficialmente sobre a PRIO num jornal e, admito, sabia apenas que era uma companhia nacional no setor dos combustíveis. Mas a PRIO foi, para mim, muito mais do que isso.



Em que ano integrou a PRIO?


Comecei a trabalhar na PRIO logo no início de 2007. Foi nessa altura que a empresa começou a dar os primeiros passos e abriu os seus primeiros postos de combustíveis. Recordo com muito carinho aqueles primeiros meses em que vi a empresa crescer do zero. Toda a equipa ocupava apenas uma sala numa das alas do edifício da Martifer Construções, em Oliveira de Frades.



Qual foi o seu primeiro cargo e que funções é que começou por desempenhar?

Integrei a Direção de Planeamento e Expansão da PRIO em 2007. Precisávamos de nos mostrar e de melhorar a qualidade do nosso trabalho. Por isso, comecei a desempenhar funções de responsável de compra de terrenos para fazer os primeiros postos de combustíveis da PRIO.
Paralelamente, também fui gestor do único posto de Aguada de Baixo. Durante cerca de meio ano tive de coordenar os turnos dos trabalhadores, os produtos para venda, tudo. Foi uma experiência que me ajudou a crescer muito, dentro e fora da empresa.


De que forma é que essas funções contribuíram para o seu crescimento e evolução dentro da empresa?

Acho que todas as vivências na PRIO contribuíram para a pessoa que sou hoje, quer pessoal quer profissionalmente. A dinâmica e rapidez são fundamentais para o sucesso das organizações mas, para tudo funcionar na perfeição, não podemos prescindir das pessoas.

Digo-lhe com toda a certeza: foram as pessoas que construíram a PRIO e que a têm ajudado a crescer. Foram os colaboradores, os clientes e os parceiros. A união de todos eles, ao longo destes 13 anos, foi fundamental para a dinamização desta empresa. E, com isso, conseguimos construir uma marca muito forte, que é valorizada pelos portugueses e muito reconhecida no setor da distribuição e comercialização de combustíveis e produção de biocombustíveis.



Qual foi o fator chave que contribuiu para o crescimento da PRIO nos últimos anos?

Crescemos muito porque conseguimos fazer a diferença num “País de iguais”. Enquanto administrador e colaborador ativo do projeto Prio, tento promover a mensagem a todos os colaboradores da PRIO que podem (e devem) ter um papel interventivo e que todas as opiniões são tidas em consideração. A PRIO nasceu para tornar o mundo mais eficiente, com energias inteligentes que incentivem o progresso da sociedade. E é com esse objetivo em mente que vamos continuar a trabalhar para o sucesso da empresa.



Qual é o maior desafio para a PRIO, para os próximos anos?

O maior desafio é conseguir afirmar a PRIO, ajudá-la a consolidar-se. Mas mais importante do que isso é não esquecer aquilo que foi o nosso passado, o nosso ADN e os nossos princípios – as pessoas sempre em primeiro lugar. Nunca nos poderemos esquecer como é que conseguimos começar aquilo que foi e é um projeto único no nosso País.